Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Achintya

Porque há coisas que não se explicam, sentem-se intensamente

Porque há coisas que não se explicam, sentem-se intensamente

Achintya

19
Jul18

Afinal...sou egoísta!

kamini

 

Por agora, não quero...deixar de ser mãe a tempo inteiro. É verdade que, por vezes, quase dou em doida...mas só de pensar em perder esta regalia...percebo que já não imagino ser de outra maneira! No trabalho, também, dava em doida frequentemente, com a desvantagem de não ter este sorriso maravilhoso a chamar-me à realidade.

Sempre fui muito apressada, ela ensinou-me a dar tempo ao tempo, a aprender a esperar! Todos precisam do seu tempo, cada um a seu ritmo...

Ainda não vai ser desta vez que vou trabalhar! Vou adiar mais um tempo...até sentir que a pequena está preparada para a creche.

Até sentir verdadeiramente que estamos as duas prontas...para uma nova etapa.

Está decidido...quero ser egoísta!

15
Dez17

Palavras Cruzadas // Acordava a gritar "MMãããeeee"....!!!!!!

kamini

Acordava a gritar "MMãããeeee"

 

 

  

 

Acordei várias noites a gritar pela minha mãe...

Este pesadelo repetitivo, acompanhou-me durante a minha juventude, terminava sempre no momento em que gritava a plenos pulmões pela minha mãe. A minha mãe acordava com os meus gritos e vinha ao meu encontro. Tive sempre dificuldade em lembrar-me de todo o pesadelo. Recordo apenas a  minha imagem a correr. Corria sobre uma estrutura metálica de vários andares, do meu lado esquerdo, em baixo, estava algo prestes a explodir (hoje associo a algo parecido com uma central termoelétrica). Eu, estava em pânico, corria cada vez mais depressa. Nunca percebi se fugia ou corria em direção à minha mãe! Sei apenas que no exato momento em que chamava por ela...o pesadelo acabava! Eram imagens pouco comuns naquele tempo, difíceis de entender e até de explicar.

Estava longe de imaginar que este "Pesadelo" um dia nos salvaria a vida...

Certa noite, acordei a gritar pela minha mãe mas...ela não chegou perto de mim! Havia algo diferente, eu acordei com a cabeça a latejar. Ouvi um estrondo, corri em direção ao quarto dos meus pais e percebi que a minha mãe tinha desmaiado, mal se levantou. Gritei para acordar o meu pai...a minha irmã acordou assustada e vomitou... O meu pai disse-me para abrir as janelas e a porta, a minha mãe lá voltou a si... Lentamente a casa libertou os gases acumulados, devido a uma fuga na exaustão do esquentador, durante os nossos banhos (antes de deitar). Os enjoos e dores de cabeça, duraram dias, mas continuámos cá!

Agradeço pelo "Pesadelo" que, curiosamente, não me recordo de voltar a ter!

 

Este é um post para a  rubrica Palavras Cruzadas, iniciativa da  Rita da Nova  com o P.A

 

14
Dez17

Guardar o "melhor" para nós...

kamini

 "Guarda sempre o melhor para ti!" Esta é uma das frases que guardo da minha infância, mais concretamente da minha querida avó paterna. No início, não percebia bem o que ela me queria dizer com ela. Estaria a dizer-me para guardar "a melhor fatia do bolo para mim?". A vida foi-me relembrando aquelas palavras sábias e ensinou-me o seu significado. Passei então a guardar o melhor para mim. O melhor no sentido do que me faz feliz, do que tenho de mais "caro" na minha vida! Em simultâneo, aprendi também a guardar o pior para mim!

Aprendi a tornar-me mais reservada, afinal ... há coisas que são só nossas!

Obrigada Avó!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D