Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Achintya

Porque há coisas que não se explicam, sentem-se intensamente

Porque há coisas que não se explicam, sentem-se intensamente

Achintya

10
Set18

Máscara de gastroenterite...

kamini

 

 " É uma gastroenterite", disseram os médicos!

 Conheço a minha filha.  As depressões e crises de ansiedade, também.

Os sintomas desapareceram, com a facilidade com que apareceram.

A má disposição repentina, o embrulho no estômago, a respiração acelerada...sem qualquer aviso, aparecem. Sem vergonha... a qualquer momento.

"Mãe! Estou a ficar mal disposta, outra vez! Acho que vou vomitar...Não consigo comer..."

Os sintomas podem ser confundidos...vómitos, dor de barriga, fraqueza, respiração ofegante, instabilidade, desespero, vontade de ficar na cama...

É o resultado de uma conjunção de fatores e sentimentos. Não é uma gastroenterite...

Ela não precisa de caldo de arroz...precisa de amor, compreensão! Precisa de acompanhamento. Aprender a aceitar o corpo de mulher numa cabeça de criança. A amadurecer...a gerir a adolescência, os sentimentos, as repressões e opressões.

 

Resultado de imagem para depressão mascara

17
Ago18

Quero-te de volta...

kamini

Estamos sempre a aprender, a própria vida nos ensina. Coloca-nos à prova constantemente, deparando-nos com situações mais ou menos complicadas. Reagimos, agimos, damos o nosso melhor. Pelo menos é o que pensamos. Olho para a minha filha Adolescente. Hoje, consigo ver nela, sofrimento, incompreensão, revolta consigo mesma. Aquela revolta que, facilmente, vem na minha direção e me atinge como uma lança. Me fere, a mim e a ela!  Nunca foi uma menina fácil, precisou sempre de carinho e atenção redobrada. Com a chegada da irmã e com todos os problemas que vivemos, piorou. Adora a irmã, diz que é a pessoa mais importante da sua vida! Nunca lhe faltou atenção e carinho, mas não é o que ela sente. Procurei ajuda, para a trazer para cima. Ainda não resultou! Questiono-me onde ficou o seu sorriso luminoso, a sua alegria contagiante. Em que parte a deixei fugir? Onde é que não dei o meu melhor? Quero fazer melhor, saber lidar com ela, vê-la verdadeiramente feliz! Preciso de sabedoria para a trazer de volta!

31
Jul18

Tenta usar luvas...de pelica!

kamini

É difícil não desanimar...continuar a ter força e ânimo, para te apoiar! Continuas a não perceber o busílis  da questão. Recusas-te, simplesmente, a querer ver. A ver que, o problema em si, não tem qualquer importância. A tua atitude perante as situações/problemas é que se revela um verdadeiro problema. Não podemos explodir e disparar em todas as direções, quando não ouvimos o que queremos ou as coisas não acontecem como gostávamos! Há dias que tentar falar contigo...é  uma verdadeira tortura. Eu sei que a adolescência é "puxada"! Também já fui adolescente...mas, nesse tempo, as nossa explosões eram mais controladas. Éramos mais respeitadores ou mais objetivos e conscientes? Sabíamos perfeitamente de que lado quebrava a corda...nunca puxávamos demasiado! Só um bocadinho...não queríamos uma guerra que não podíamos vencer. Da qual sairíamos sempre prejudicados. Preferíamos as luvas de pelica! Sabíamos ser cautelosos... para não nos enterrarmos mais!

Haja sabedoria para lidar contigo! Muita!

Mas podias experimentar as luvas...

Resultado de imagem para  luvas de pelica

07
Fev18

Reclama porque está de castigo e porque não está...!

kamini

 

No final do jantar, ainda à mesa, depois de perguntar (muitas vezes) pelo resultado do teste de FQ. Soltam-se as lágrimas e ouviu-se "9", parecia saído do fundo do poço... 

Percebemos que ela estava completamente  desapontada, depois de trocar um olhar com o pai, disse-lhe: "Não desanimes, tens que continuar a tentar, o próximo vai correr melhor." O pai também a tentou animar.

Desde o início do período, para evitar mais distrações, durante a semana, tem o telemóvel com todas as aplicações bloqueadas...ao princípio foi um drama...depois percebeu que se distraia constantemente com mensagens e que assim era melhor...até  levantar as notas!

Levantou-se da mesa e disse:" A sério? Não vão fazer nada? Só dizem isso? Parece que      já estão tão habituados a que tenha más notas que já nem se importam...! "

Ficámos incrédulos...Afinal...quer mais castigo?  Não lhe chega a nota e os que já tem?

23
Nov17

Depressão na adolescência

kamini

A minha filha mais velha sempre foi hiper feliz e cheia de vida, mesmo nos momentos menos bons em que as lágrimas apareciam, substituia-as por um sorriso contagiante e tudo passava. Nos últimos tempos tem andado mais tristonha e preguiçosa, recolhe-se no seu espaço e passa simplesmente o tempo...

As notas dos primeiros testes não têm sido famosas, é verdade, também é verdade que se esforçou um bocadinho. Os castigos não resultam, se não tem telemóvel passa o tempo entretida com qualquer futilidade. Não lhe tiramos o telemóvel para a castigar, apenas porque sabemos que se distrai e passa o tempo a responder a mensagens nas redes sociais e se esquece das responsabilidades. Volta e não volta fica sem telemóvel, acho que ainda é um dos poucos recursos para tentar apelar ao bom senso juvenil.

Agora está sem ânimo, sem vontade de lutar por melhores resultados e por dias melhores. Começamos várias conversas com o intuito de ajudar a resolver o problema, procurar soluções em conjunto, explicações, troca de área, etc... Acaba tudo com um "não me chateies " "não percebes nada" e uma discussão ou com uma crise de choro e um silêncio assustador.

Como mãe, a primeira reação é pensar que caminho estranho é este. Quem tira más notas e chega a casa e estuda cada vez menos, não parece muito preocupada em mudar a situação...ou talvez não...quando estamos deprimidos por vezes afastamo-nos das coisas que nos entristecem.

Socorro, a minha filha está a entrar em depressão ??? 

21
Out17

Tarde no Centro Comercial

kamini

Todos sabemos que a adolescência é uma fase complicada da vida, eu mãe, sei disso...mesmo assim lá me convenceu a uma tarde no CC que prometia um lanche oferecido pela catraia...

Depois de passar horas, a fazer piscinas entre três lojas de roupa de um centro comercial, com uma filha adolescente e outra bebe, preciso fazer uns desabafos.

Haverá alguém capaz de me explicar o porquê da música altíssima nos provadores de uma determinada loja? É que além de alta é de uma falta de gosto...Adolescente num veste e despe constante a questionar como fica...só me apetecia gritar "despacha-te"...não gritei por vergonha, mas disse várias vezes "está a ficar muito tarde, temos que ir, a mana precisa comer.

Quando finalmente chegámos ao carro, eu, saturada e cheia de dores de cabeça, talvez por ter sede e fome, foi assim:

- Eu: Já é muito tarde, temos que nos despachar, a mana tem que comer.

-Filha: Não sei qual é a pressa, ela ainda não reclamou, além disso podes dar-lhe já o comer, não é preciso ir para casa.

-Eu: Se te tivesses despachado, tínhamos lanchado. Já é mesmo tarde, temos que ir, além disso também estou cheia de dores de cabeça e sede. 

-Filha: Podias ter ido lanchar e dar de comer à mana, se não foste é porque não quiseste. Já estou crescida para poder estar sozinha nas lojas, afinal a culpa não é minha, fosses tu.

Seguiram-se uns segundos de silêncio, engoli aquelas palavras, pensei comigo mesma "Eu sou a adulta, realmente a culpa foi minha, aprende com esta e lembra-te da próxima vez que ela te tente convencer a vir com ela."

-Filha: Já sabes que eu sou indecisa, se querias ir cedo para casa, marcavas uma hora em vez de estares o tempo todo a dizer para me despachar. Isso inerva... e ainda me atrasou mais.

Surpreendeu-me a simplicidade destas palavras, eu, os adultos, complicamos tudo.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D